Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Memória De Infancia.

Quando eu era miúda, não me lembro de haver muita variedade de refrigerantes. Ou eu é que não os bebia. Lembro-me que havia a laranjada e a gasosa - que deixava uma amiga minha completamente bêbada, vamos lá saber porquê! - uma cidra de maçã e a famosa Laranjina C.

 

Eu e o N. estávamos sentados no sofá a conversar quando nos surgiu à ideia, já não me lembro porque motivo, a tal laranjina C.

 

Lembro-me que a bebia a acompanhar caracóis e que era óptima. achava muita graça ao formato da garrafa que fazia lembrar uma laranja com as suas borbulhinhas e tudo. Depois desapareceu. Tal como as outras bebidas da época. E instalou-se a era da Coca-cola e outros gaseificados.

 

Se eu pudesse, voltava atrás no tempo para beber uma Laranjina C e uns "rastejantes de casa às costas" num dos verões da minha infância...

 

Será Possível Fazer Rewind?

Confirma-se. Não tenho qualquer espécie de dúvida! Dizem que há dias em que não se devia sair de casa e o meu dia, hoje, foi um desses dias.

 

Nada indicava que o meu dia se iria tornar numa espécie de mini-pesadelo. Dormi bem, acordei sem dificuldade, consegui fugir mais uma vez de ir fazer análises, consegui sair mais cedo de casa para ir até ao convento e também não me esqueci de nada por isso não tive de voltar atrás. 

 

Ia a descer a rua muito descansadinha, com a minha super-mala-da-escola que pesa alguns 300kgs, quando tive um pequeno acidente que me ia tramando a vida. Então não é que, em pleno terreno liso, com uns sapatinhos confortáveis e insuspeitos, dei uma tocidela num pé que até vi estrelas, cometas e nosos sistemas solares?!? E o mais giro é que não foi um pé qualquer. Não. Teve de ser aquele, o tal. O da fractura com entorse! Rais parta o pé mais quem o inventou...!

 

E depois esta cabeça, em fracções de segundo, ainda teve tempo para ver um cenário possível passar-lhe pela mente: vi-me estatelada no chão com livros a voar por tudo quanto é lado, o meu almoço (que ia acondicionadinho num saquinho) acertar na cabeça de alguém, calças rasgadas nos joelhos e, por fim para rematar, acertar-me um livro no meio da cabeça...

 

Sobrevivi ao incidente incólume mas com umas dores que só me apetecia era gritar. Cheguei ao convento sã e salva e a horas de começar as aulas. Fui almoçar para reabastecer forças e enfrentar as feras mas antes de entrar na sala fui ao WC.

Surpresa!!! Tive aquela visita inesperada que mensalmente vem chatear a molécula, e não só, às mulheres. Great! Ainda por cima estava desprevenida. Argh!

 

Uma aula dada, vamos lá para a segunda. Chego à sala, a Mana pergunta-me onde é que eu meti as minhas avaliações do 2º periodo no seu computador. Amazing! É claro que coloquei no ambiente de trabalho para que ela as encontrasse facilmente, tal como lhe disse na altura, ou seja, em Março. Vasculhou o PC todo, e depois de muito procurar, lá as encontrou numa pasta inimaginável nos confins do PC. Mas ainda teve a petulância de insinuar que fui eu que as meti naquela pasta! Que culpa tenho eu da Mana ser uma desorganizada e irresponsável? Bah!

Para minha felicidade (aaaaargh!) ainda dei aula com um periquito à solta a esvoaçar sobre a minha cabeça. Só faltou mesmo um presente a enfeitar-me o cabelo.

 

Já de volta para casa, e com um dia destes, não poderia ter uma viagem tranquila. Não. Sorrateiramente, uma enxaqueca traidora começou a atazanar-me o juízo. Só faltava mais esta, pensei eu. Mas não. Ainda me esperava mais uma surpresasinha, por assim dizer. A pessoa que estava sentada atrás de mim saiu e no mesmo banco instalou-se uma figura com aparência de um falso sem abrigo americano. Lembram-se que tenho faro de perdigueiro, certo? Pois é... começei a sentir um cheiro a lixo e a coisas podres indescritível. Só me faltava mais esta. Mas esta figurinha não era um sem abrigo, era sim um badalhoco qualquer que desconhece uma coisa chamada higiene pessoal!!!

 

Depois de um dia destes, acham que era possível fazer rewind?

 

 

 

Eles Bem Avisaram...

... mas eu não fiz caso nenhum.

 

Eu já tinha lido no site e ouvido no telejornal. Já sabia que iam andar no ar mas achei que me iam passar ao lado. O tanas! Tão bem enganadinha que eu fui! Por mim mesma, claro. Sinto-me como um íman que atraiu todos os pólens, pós e ácaros que existem na área de Lisboa e arredores.

 

Ainda eu não tinha despertado do meu sono de beleza, quando comecei a sentir aquelas humidades nasais típicas da minha alergia. Confidenciei à minha almofada que não me apetecia nada andar o dia todo de nariz na mão, que é como quem diz, andar a assoar-me. Nem a almofada me ligou peva!

 

Fui a correr buscar o meu ant-histamínico de colocar debaixo da língua, vá de pulverizar o nariz e de pôr gotas nos olhos, ao mesmo tempo que rezava "Avé Marias" para que ainda tivesse atacado a tempo os inimigos número um do meu nariz. Passada meia hora, tive a certeza de que já não fui a tempo.

 

Comecei o dia com a minha habitual explicação das terças-feiras. Até aqui as coisas correram com normalidade: sem espirros e poucas assoadelas. Fui almoçar e zarpei em direcção ao convento. Aqui é que foram elas! durante a primeira aula começou a tragédia: os espirros começaram a interromper o meu discurso e as assoadelas começaram a ser constantes.

 

Assim que entrei na sala onde ia dar a segunda aula, desatei a espirrar ininterruptamente e a ferver assoadelas. Comecei a ficar assustada por ver o meu arsenal de lenços de papel a desaparecer rapidamente. Espirrei até ficar com os bofes de fora e sem ar nos pulmões. Argh!

Milagrosamente lá tive uma folguinha nos espirros e consegui terminar a aula.

 

À hora do lanche, encontro a mana-profe onde eu ia a seguir dar aulas. Esta é a tal sala do zoo (a do post prometido mas que nunca mais é escrito). Assim que vi a mana, cumprimentei-a e fiz-lhe um pedido "mana, coloque as feras na jaula senão hoje é que morro mesmo...!". a mana olha para mim e diz-me "fique descansada que eu vou ao seu funeral...", virou-se a riri e pisgou-se! Grande lata!

 

Apanhado geral: consegui dar as minhas aulas apesar da espirraria e assoadelas; não voou ninguém no bus à conta dos meus espirros e nem salpiquei ninguém; consegui chegar a casa sem esgotar o arsenal de lenços de papel. e agora vou enfiar-me na cama antes que o meu PC me aperte o pipo pr causa dos espirros!

Pág. 2/2